terça-feira, 28 de junho de 2011

A Efemeridade da Existência

Esta semana faleceu um vizinho nosso, já um senhor, mas com plena saúde, de acidente fatal de carro. Sempre que alguém faz a passagem, uma certeza para todos, sempre aguça em mim algo que acredito plenamente que dá sentido a cada momento da vida: a certeza de que esta realidade tão real para nós, é passageira. Perdi vários parentes no último ano, e sei bem que sentimento é esse.
Não digo isso de uma forma triste ou medrosa, não mais. Já tive muito, muito medo da morte, do que virá, de perder o que tenho mas hoje, sinceramente, sinto-me em paz com o ciclo da vida com uma certeza crescente em meu coração: a vida é realmente um brinde de Deus, uma intensa e passageira jornada para ser vivida como se cada dia fosse único, o último, ou o primeiro. Diante desta lembrança muita, mas muita coisa perde o sentido de cara, como mágoas, medos, insatisfações com o corpo ou com a vida e também traz consigo uma outra sensação, liberdade.
Se, ao considerar a vida um fardo eterno, no qual devemos ser bem-sucedidos aos olhos dos outros, nos preencher de segurança material e controle, diante da certeza de que ela passa, essa seriedade perde a necessidade, afinal, não vamos sair desta e se tem uma coisa que todos queremos é ser lembrados depois que formos, lembrados como aqueles que foram felizes, que amaram, que se doaram, que fizeram algum tipo de diferença capaz de tocar o coração ou inspirar alguém e, principalmente, ter sido alguém feliz durante boa parte do período que esteve aqui. Sinto cada uma das pessoas que amo e que fizeram a passagem muito presentes, sem corpo físico, mas vivas.
A linha de espiritualidade que sigo em meu coração, leva em consideração que nada é mais importante do que ser feliz, em outras palavras, nada é mais importante do que estar primeiramente bem consigo mesmo para poder fazer bem aos outros e ao mundo, em outras palavras ainda: "buscai em primeiro lugar o reino de Deus e todas as outras coisas lhe serão acrescentadas", sendo aqui o Reino de Deus as coisas boas que te fazem se sentir cada vez mais pleno, feliz, bom, conectado e inspirado.
Quando estamos atentos à efemeridade da vida, realizar sonhos, ainda que ancorados nas necessidades básicas da existência, torna-se mais importante e protelar coisas que sentimos como essenciais para nossa felicidade se tornam muito mais urgentes. Tudo nesta vida é um exercício de prática, o ser humano se melhora o que faz pela prática, portanto, acordar diariamente e lembra-se disso, escrever frases que te façam lembrar-se do que é essencial para sua passagem nesta vida, livrar-se de pesos desnecessários no coração diariamente quando exercitado se torna uma prática, uma crença de vida, mudando tudo ao redor e dando mais sentido a esta efêmera, passageira, doida e, por muitas vezes, incompreensível vida. Sua vibração muda e realmente a realidade se torna mais viva.
E, com relação aos que ama, é bom a gente não se esquecer, sempre pode ser o último dia, é verdade.

Abraços sinceros em todos, porque todo mundo gosta de abraço e se ainda não te dei um, te dou hoje porque amanhã... a Deus pertence!

2 comentários:

  1. Excelente texto, Sol, adorei! Você é uma alma iluminada, aprendo com você. Beijos no seu grande coração!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Rosinha, muito bom ver que está participando!

    ResponderExcluir